20 de novembro de 2011

SWU - dia 1

Não tivemos dificuldades de achar Paulínia. Diferente da edição do ano passado, no Pesqueiro Maeda, em Itu, esse ano encontramos o local de primeira. A sinalização já começava na estrada e as opções de estacionamento eram várias. Porém o estacionamento oficial já ficava HIPER longe do lugar do evento (e era o mais próximo), o que nos rendia uma BELA caminhada. Os outros então, nem se fala. Outro absurdo foi o preço. Para quem ia com três pessoas ou mais, o estacionamento oficial custava R$50. Já para aqueles que como eu e meu namorado, não tinham amigos para dar carona (abaixo de duas pessoas), pagavam R$100,00. No desespero do momento pagamos CEM DINHEIROS para deixar o carro no meio de um monte de terra. QUASE INFARTEI, JURO.

Daí que depois de quase morrer de tanto andar, de conseguir entrar no SWU e de perceber que minha teoria de que esfriaria MUITO durante a noite caiu por terra, comecei a passar mal. É, calor demais, suor demais, e eu estava sem comida. Resolvi me hidratar com água e comer alguma coisa. Mas tudo ficava muito longe. Não estou reclamando do lugar, foi melhor do que no ano passado, mas né, cheguei cheia de calos em casa de tanto andar, isso que era O PRIMEIRO DIA. Bom, voltando ao assunto comer, a praça de alimentação que ficava próxima a portaria era vegetariana. Pensei que todas as outras praças fossem vegetarianas também e só comi aquilo no primeiro dia. UMA COISA! Eu gostei da comida né, sempre quis ser vegetariana (mas o churrasco não permite), porém, meu namorado... só faltou me matar quando descobriu que nas outras praças vendiam MILHÕES de coisas gostosas, com muiiiiiiiiiita carne.

Com relação aos shows, para mim esse dia era o pior. Grande foi minha admiração quando eu não consegui parar de assistir Kanye West. Sério, o cara começou cantando no meio do povão, as dançarinas eram boas demais, me arrepiou assistir. E que voz, hein? Tirando as músicas, o show foi perfeito! HAHA.

Em segundo lugar ficou Damian Marley (ps: e eu já sabia que ele era filho do Bob no último post u.u rs). Um cara ficou pulando o tempo todo com uma bandeira da Jamaica no palco. As luzes foram ótimas. E gostei das músicas. Tanto que estou baixando a discografia (viva a era da internet!)

Por terceiro ficou Snoopy Dogg. Nunca ri tanto em um show, QUE MODELITO FOI AQUELE?

Um que eu esperava muito ver era do Black Eyed Peas, mas... que decepção! Som alto e voz baixa. No meio rolou alguma briga, suponho eu, porque tomei um banho de cerveja de alguém que estava na minha frente e saiu correndo junto com a multidão durante o show. O barulho parecia de milhões de cavalos, sério. Sem chamar ninguém de cavalo, porque né, eu tive de correr também. Além da cerveja, levei uma pisada no pé.

Voltando aos shows, porque sou dessas que dá voltas no assunto, valeu muito a pena ver o Copacaba Club tocando. E conhecer Miranda Kassin e Andre Fateschi, que voz linda a dela (e a roupa também)! Aliás, Under Pressure na voz deles ficou maravilhosa! Não achei vídeo deles cantando essa música no SWU, mas achei um do Altas Horas:


P.S.¹: Queria ter assistido S.O.J.A., mas foi bem a hora que passei mal! :/

P.S.²: Esqueci de levar câmera esse dia, portanto, SEM FOTOS dos shows!

P.S.³: Na entrada, vi uma menina reclamando sobre não pode entrar com espelhos. Nem os que vem grudado em estojos de maquiagens. Achei um absurdo não poder, mas a justificativa é de que espelho pode cortar. Tá né, pegaram meu curvex ano passado (quem sabe era um curvex mágico e virasse uma tesoura de repente, vai saber). Mas a revista da entrada era TÃO boa que TODA HORA tinha alguém fumando maconha do meu lado. Sem ser peruinha demais, voltei para casa com dor de cabeça, porque sério, FOI O DIA INTEIRO o cheiro de maconha. Moral da história: com espelho você não pode entrar, mas com droga, opa, só chegar!

Próximo post eu falo mais, dessa vez sobre o segundo dia, hehe!

Nenhum comentário:

Postar um comentário