24 de abril de 2015

Tecidos tecnológicos ♥

Katy Perry usando um vestido de LED vendido pela CuteCircuit
Pausa rápida nos estudos (essa vida de concurseira não tá fácil MESMO. Durmo estudando, acordo estudando...). Hoje tive aula de Tecnologia Têxtil e ME APAIXONEI pelos tecidos tecnológicos!

Existem muitas pesquisas que se dirigem ao desenvolvimentos de novos tecidos. São estudadas misturas químicas, aplicações da física e utilizam também informática. Não aparecem (ainda, assim espero) em tendências de moda pois sua utilização é cara e ainda não se expandiu. O segmento mais privilegiado é o de esportes que já usam alguns desses tecidos em atletas.

As primeiras pesquisas surgiram em 1869, quando na Alemanha foi criado o fio de acetato e celulose. Em 1905 foi descoberta a viscose: fibra sintética de celulose derivada da polpa de madeira. Em 1938 foi descoberto o nylon e em 1950 o poliéster e a fibra sintética acrílica (conhecida como lã fake, ou crylor). Os tecidos naturais foram valorizados nos anos 70 e 80, com influência dos hippies. Nos anos 90 foi lançada a microfibra, o primeiro tecido inteligente, com partículas que se unem pelo calor.

Em 1999 é lançado o amni biotech, que elimina bactérias. Também apareceu o dry fit que elimina a umidade do corpo. E então vieram os tecidos contra a ação de raios ultravioletas (UVA) e infravermelho (UVB).

Existem também tecidos que combatem a celulite, com vitaminas, impermeáveis, luminosos, entre tantos outros. Agora, a melhor parte! Exemplos!

A loja SquidLondon tem uma série de produtos com tecidos que mudam de cor (quando estão molhados):

Outro exemplo é o Intimancy 2.0 produzido pelo estúdio Roosegaarde. É um vestido inteligente que se altera pela pulsação, pelo calor e pelo frio:

E tem mais os Dynamic Light Costumes do Black Eyed Peas (by Philips)!

Além desses figurinos, a Philips desenvolveu o projeto SKIN, que examina a futura integração de materiais sensíveis a pele. É a provável mudança dos tecidos inteligentes para os sensíveis. Foram produzidos dois equipamentos chamados "Soft Technology". O vestido abaixo mostra a tal tecnologia emotiva e como as peças podem interagir com o corpo e suas emoções:

Por hoje é só, preciso voltar as meus estudos de Direito :/ hahahaha

Nenhum comentário: