22 de janeiro de 2015

Oh, Minas Gerais! Quem te conhece não esquece jamais


Preciso confessar que não tem como não amar o Brasil. Só quem nunca viajou por esse país consegue acreditar que ele é feito de coisas feias, de povo ruim. Dou graças a Deus por ter uma família louca e aventureira que todos os anos viaja para conhecer um pedacinho daqui. E dia 22 de dezembro de 2014 saímos de casa (eu, minha mãe, minha sobrinha, minha irmã e meu cunhado), sem rumo, sem data certa pra voltar, com um único guia: um mapa de Minas Gerais. A terra do pão de queijo, do queijo Minas, do doce de leite e de nata, das cachaças artesanais, de grande riqueza cultural e histórica.

Nosso primeiro destino foi Monte Sião, conhecida por sua malharia. GENTE, PRECISO DIZER QUE PIREI NOS PREÇOS DAS ROUPAS ? Não, não preciso.

O próximo destino foi Três Corações, onde nasceu o Rei Pelé. Fomos conhecer a casa em que ele morou, uma experiência incrível! Fora que comemos jabuticaba direto da árvore que a família dele também comia, haha!
 
Depois fomos até São João Del Rei (oi cidade, queria registrar uma reclamação: hotel/pousada que não aceita cachorro é antiquado/a, beijos). Foi difícil encontrar lugar para dormir porque meu cachorro estava junto. Mas depois de muito andar, fomos parar em um excelente hotel que eu recomendo MUITO: Ponte Real. Fica bem no centro e tem tudo que um bom hotel possui. Nessa cidade conhecemos inúmeras igrejas e passamos o Natal ouvindo os sinos badalando canções. Coisa mais linda!
Hotel Ponte Real
Hotel Ponte Real

Depois tivemos um “cadim” de azar, pegamos chuva em São Tomé das Letras, o que significa que só conhecemos a parte feia da cidade. Nada de turismo nesse dia!

Passamos também por Congonhas para conhecer as obras de Aleijadinho...

Aí foi a vez de Ouro Preto! Ô cidade linda, parece coisa de cinema. Amei as mil lojas de lá, adorei ter ido até a maior mina de ouro aberta a visitação do mundo que fica na estrada entre Ouro Preto e Mariana (com direito a andar naqueles carrinhos – chamados trolley). A descida chega a 315m de extensão e 120m de profundidade. Embaixo da terra o clima é muito úmido e a temperatura fica entre 17 e 20 graus durante qualquer época do ano. De lá já sairam 35 toneladas de ouro. Mágico.

Eu e a Pam fomos também conhecer um pub de Ouro Preto, nem me lembro do nome, mas ficava num lugar que parecia um porão. Lá provamos as primeiras cachaças de Minas. As outras provamos em Tiradentes (de banana e de jabuticaba).

Seguimos viagem para Belo Horizonte, onde conhecemos o Lago da Pampulha e o estádio do Mineirão (é, aquele da vergonha do 7x1 na Copa, contra a Alemanha). 

E fomos parar numa cidadezinha chamada Caeté para dormir, já cansados de tanto viajar. No dia seguinte, pretendíamos ir em destino a Vitória, no Espírito Santo, voltando pelo Rio de Janeiro, mas o cansaço + encontrar o Hotel e Spa GM Sollaris fez com que ficássemos o resto das férias por lá, rs. Afinal, quem resiste a manga direto do pé, piscina aquecida, sala de jogos, funcionários que viraram amigos, quartos maravilhosos e amplo espaço aberto, ainda mais quando se está morrendo de canseira? 

Passamos o ano novo por lá!
Em Caeté eu mais dormi que qualquer outra coisa, passei mal por dois dias. Mas consegui conhecer um pouco do artesanato local, uma igreja e o Museu da Farmácia (além do hospital, claro, rsrs). De lá, voltamos embora, dando uma paradinha em Pedreira pra ir em duas lojas.

Cheguei em casa dia 3, tive 3 dias de descanso e fui viajar de novo, com a família do namorado, para Caraguá, no litoral norte. Fomos na quarta-feira (dia 7 de janeiro) para a praia, mas saímos de Sorocaba um dia antes, com destino a São Paulo. Em Caraguá ficamos em uma colônia de férias suuuper legal, com drinks servidos na piscina, adoro! Não sou lá muito fã de praia, então fui conhecer apenas duas: a Porto Novo e a das Cigarras.
Post ficou imenso, mas ó: nem ligo! :*

Nenhum comentário: