2 de outubro de 2014

Eu morri com um tiro no estômago

Eu estava em um prédio muito alto e escuro que, embora não tivesse ninguém habitando, não tinha aspecto de abandonado. Tinha tapeçaria vinho e dourada nas paredes. Não tinha nenhuma janela, mas inúmeras portas. Escadas eram infinitas! Eu descia, entrava em várias salas vazias, via muito sangue no chão. Alguns assassinos me perseguiam, não sei o motivo. Mas aí apareceu Evan Peters, ou melhor, Tate Langdon, para me ajudar. Ele me protegia e a gente corria desesperadamente para achar uma saída. 

No fim, eu encontrei o estacionamento do lugar. E tava rolando uma grande festa para mim, com toda minha família reunida para festejar que eu estava viva e bem. De longe, Tate sorria para mim. Foi nesse momento que eu senti uma bala perfurando meu estômago. Foi muito real e assustador. Eu sentia dor, morri segundos depois, vendo a expressão aflita de Tate. 

Nesse momento eu sabia que era um sonho, não me perguntem como. E eu estava morta, sabia que estava morta, me via morta... mas não conseguia acordar! E eu continuava tentando “sair” do sonho, porque estava desesperador. 

Acordei assustada.
É cada coisa que a nossa mente inventa, pqp!

PS: ainda acordei com  Baby Blue do Badfinger tocando em minha mente... maldito seja Walter White! HAHA


Nenhum comentário:

Postar um comentário