15 de julho de 2017

Projeto de Escrita Mensal: meu estilo pessoal

Chegou mais um dia 15 e com ele mais um post do Projeto de Escrita Mensal do grupo Universo Alternativo, criado pela Jaqueline do blog 4sphyxi4 \o/. Dessa vez falaremos sobre nossos estilos pessoais. 
 
Sou formada em Produção de Moda e depois de tanto estudar História da Arte e da Moda, passei a acreditar que o estilo da pessoa deve contar a história dela, carregar elementos que signifiquem algo e que a representem. Mas nem sempre pensei assim. Quando criança eu me vestia muito de rosa ou azul, bem assim, 8 ou 80, eu compunha looks inteiros nessas cores. Como passei parte dessa idade nos anos 90, não é surpresa nenhuma que eu usasse calças que iam um pouco abaixo do joelho de tactel rosa, com camiseta das Meninas Superpoderosas, no pé o tênis da Sandy de plástico rosa e cabelo dividido no meio, preso em dois elásticos adornados com pompons também rosa (e uma franjinha para arrematar). Eu usava também muito aquela sandalinha de tiras transparente da Melissa. 

Aos 14 anos, eu decidi que seria emo. É, assim mesmo, um dia acordei e pensei “todo mundo é emo, por que não eu?” e fui ser infeliz. Entraram em meu guarda-roupa estampas listradas, calças skinny, jaquetas com detalhes de pelúcia no capuz, pulseiras de dadinhos ou caveiras, colar de soco inglês, All Star – quanto mais sujo melhor – no pé, cabelo repicado, descolorido e chapado, com uma longa franja jogada de lado e muito lápis de olho preto. As vezes eu mudava para legging preta com uma camiseta gigante por cima ou meia-calça preta e vestido geométrico. Que fase, meus amigos! 
Foto péssima de webcam. Eu devia ter uns 16 anos aí. Usava muitas blusas de frio com capuz de pelúcia e colar de soco inglês!
Depois, veio o início da idade adulta, a faculdade me fez ser mais prática no meu estilo e tudo que eu queria era não passar frio (onde eu estudava fazia MUITO frio). Foi aí que percebi que eu odiava jeans, só usava para não morrer de frio. Tive que usar muitas blusas de lã e foi nessa época que descobri o meu amor por cardigãs e sobretudos combinados com cachecóis e luvas. As jaquetas de couro fake ganharam mais espaço na minha vida nessa época também. E a partir daí eu não usava mais tênis, só botas. E como eu amava sapatilhas! No fim da faculdade eu já era apaixonada por moda, mas não me permitia usar muitas coisas. 
Quando eu descobri o poder da lã, no início da faculdade, lá em 2009!
Comecei a me soltar na minha maneira de vestir assim que saí da faculdade. Começaram as épocas das baladas e passei a usar algo que eu sempre tive vontade: MUITO BRILHO. No pé eu usava salto, coisa que eu não gosto muito até hoje, mas se o sapato for lindo feat confortável, eu uso! Nos looks de balada eu exagerava nos shorts de paetês (ou com detalhes de paetês), nas saias grudadas no corpo, em camisas com transparência, muitas vezes com recortes estratégicos – como nos ombros. Sem meia calça, eu abusava nos iluminadores corporais para brilhar muito! No pé sempre salto, as vezes inteiro de paetês, as vezes discreto e preto, as vezes um azulzão bic que era o meu preferido. A maquiagem carregada no olho, já sem lápis preto dentro – troquei pelo branco para aumentar o olhar. Aí comecei a moldar um pouco do meu estilo atual. 
Camisas transparentes com recortes estratégicos
Na verdade, contei tudo isso para poder dizer que tudo que fiz e que fui construíram quem sou hoje. Embora eu não seja uma vítima da moda, incorporo algumas tendências no que eu visto. Mas sem compras desenfreadas! Por exemplo: tenho uma calça de veludo molhado que está há cinco anos comigo e em perfeito estado, sorte a tendência ter voltado. Se não volta, eu continuo usando, porque só compro peças que me representam. 

Tento me de vestir de acordo com aquilo que acredito, com as cores acompanhando meu humor. Se estou triste, natural eu usar cores mais escuras, com maquiagem mais dark também. Se estou feliz, uso roxo (minha cor preferida!), verde ou vermelho. 


Meu estilo hoje em dia é meio trevosa e meio fofa unicórnia. Vou de um extremo ao outro ou misturo tudo. Gosto de estampas de flores, de caveiras, que representem animais, camisetas de banda, cardigãs/sobretudo de todos os materiais. Adoro uma legging com carinha de jeans, até tenho uma calça jeans porque as vezes é necessário usar, calças de tecidos fluídos e muito estampadas, amo shorts de tecidos mais sóbrios nuns dias versus shorts jeans curtíssimos no outro. Amo blusas assimétricas ou vestidos acinturados, mas também adoro vestidos retos. Adoro bolsas diferentes, brilhantes, com shapes engraçados. No pé, gosto de usar tênis metálico, muitos tipos de botas (ankle boot, coturnos, de veludo, de todas as alturas) ou sandália de salto mais baixo e grosso, sabe? AMO strappy bra por baixo. Maquiagem varia com meu humor, como falei antes, mas quanto mais brilho tiver, melhor. Amo usar preto, cinza e vinho, que são as cores que uso com mais frequência. 
 

Eu achei que esse post ia ficar curto, mas gente, como é emocionante falar sobre nosso estilo, dá uma nostalgia, uma coisa quentinha no coração, sabe? Espero que tenham gostado de conhecer um pouco mais sobre meu estilo pessoal. ♥ 
Outras posts participantes: 

17 comentários:

  1. QUE MARAVILHOSO o teu post. Sério! shaushaushaush

    Eu também tinha várias pulseiras de dadinhos e tenho até hoje um colar de soco inglês guardadinho. Quem não foi emo no estilo foi emo nas playlists da época, pode ter certeza! shaushaushu

    Adorei a tua retrospectiva contando a história do teu estilo. Muito bom!

    Beijos! ^^
    http://aguriademoletom.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Eu guardei esse colar da foto também ♥ eu tinha outros, mas me desfiz deles hehehehe! Verdade, né? Certeza que todo mundo ouvia música emo, nem que fosse escondidinho!

      Beijos ♥

      Excluir
  2. Adorei teu post sobre teu estilo! E realmente, todas as mudanças que a gente vai fazendo enquanto vai crescendo refletem muito no nosso estilo na vida adulta.

    E eu sou mais uma emo! UHAUAUAUAUHAUH Socos ingleses, colares do Jack Skellington, lacinho de caveirinha... Às vezes dá uma saudade! UAHUAAUHAUHA

    Que tu continue arrasando com muito brilho, paetê e glitter! Um beijão!

    www.vultuspersefone.blogspot.com

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. ESQUECI DISSO! Jack Skellington! Eu tenho um chaveiro guardado até hoje, que bate os dentinhos, coisa mais fofa! Sinto uma nostalgia quando relembro (e as vezes um pouquinho de vergonha hahahaha)

      Beijos ♥

      Excluir
  3. Acho a senhorita muito bonita, viu?! Que fique registrado, heuhe! E poxa, se não for uma pergunta incômoda, quantos anos você tem?! Achei engraçado a parte que falou que "todo mundo era emo, pq vc não?! aí foi ser infeliz...!" uhauhauah! Eu era emo e nem sabia! UHAUAHUAH! Adorei as fotos, ver a evolução e tudo mais, o curioso é que você sempre vai acompanhando a moda! Muito legal o texto! Beijão! <3

    4sphyxi4.blogspot.com.br

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Aiiii que linda, obrigada! Cê também é muito das maravilhosas, viu?
      Tenho 26 "aninhos"! eheuehuehuehe
      Eu adorava poder chorar ouvindo música e colocar a culpa no estilo hahaha! Mas sou dessas choronas até hoje, principalmente com livros e filmes. Beijos ♥

      Excluir
    2. Então, estamos juntas! Heuhehe! Menina, eu lembrei de quem você me lembra! (Que eu pensei quando estava escrevendo o comentário daquela vez e esqueci de dizer!) A FERGIEEEEE! Parece muitooo! Hauhauha! Beijão! <3

      Excluir
  4. Olá tudo bem?primeiramente adorei o post,eu amo textos assim contando histórias e com fotos ficou muito legal,gostei do toda sua trajetória de estilo e gostos até aqui até me indentifiquei um pouquinho com sua história,também amo blusas com caveira e amo cinza e preto e adorooooo legging,mas é assim nossa história é nós mesmos que construímos em cada fase da vida,ameeei td parabéns 👏🏼👏🏼👏🏼flaamanciokibelezza.blogspot.com😘

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Eu sou MUITO fã de leggings, acho tão confortáveis! Por isso detesto jeans, acho que me deixam "presa", sem movimento, sabe? PRETO E CINZA É VIDA! Obrigada pelo comentário, Flá! ♥

      Excluir
  5. Manaaa, eu também tinha o tênis da Sandy de plástico e o meu ainda era daqueles que tinha uma plataforma. Eu amava demais aquele tênis meu deus <3 Saudades demais da minha fase emo, que eu não adimitia de jeito nenhum da época, mas hoje assumo pra quem quiser que fui muito emo sim. kkkkk


    Relíquias da Lara
    Vem participar do sorteio que está rolando!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Eu também amava o meu tênis da Sandy, só tirava do pé porque era de plástico e não tinha como usar todos os dias! E também não admitia minha "emisse", só pros migos da época (emos também ahahahaha) e hoje assumo porque... quem nunca, não é mesmo? ♥

      Excluir
  6. Uau! Adorei o post, o modo como tu conto sua tragetória. Sua foto emo tá tão lindinha. E UAU, que mulherão formosa você ficou depois hein?

    Bites!
    Tary Belmont

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. ahhhh que linda! Obrigada! Beijos Tary! ♥

      Excluir
  7. Que projeto legal Graziele! Curti muito ler sobre a história do seu estilo e me identifiquei bastante. Acredito que, acima de tudo, nessa construção de estilo a gente deve se divertir, mesmo que pague uns micos de vez em quando, rsrs... Abraços!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Que bom que gostou, Carol! Simmm, eu sou super a favor de pagar micos hehehehe! Beijos ♥

      Excluir
  8. Oi Grazi, tudo bem? Que post mais incrível. É tão bom quando conhecemos um pouco mais sobre o estilo de quem está por trás do blog. Antes eu pensava que as roupas eram somente acessórios e que não demonstravam nada. Como um calçado usado somente para proteger nossos pés. Mas quando decidi aderir ao estilo minimalista percebi o quanto as roupas falam de nós, o quanto ela mostra ao mundo o que pensamos, sentimos, e nossa opinião sobre todos os assuntos inclusive sobre moda consciente. Cada pessoa tem seu estilo e ele deve transparecer na maneira como falamos, como nos relacionamentos e assim deixar nossa marca no mundo. Ainda estou buscando o meu espero encontrá-lo em breve. Beijos, Érika =^.^=

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Penso exatamente como você, Érika! Vai encontrar seu estilo sim ♥ as vezes é meio complicado, porque exige autoconhecimento (e talvez tenham partes doloridas nesse processo) mas vale super a pena! Nos comunicamos através das roupas por mais que a gente não queira... essas danadas contam muito sobre a gente hehehe! Que bom que gostou do post, fico feliz!

      Excluir