22 de outubro de 2016

“A Mágica da Arrumação” e “Vista Quem Você É”: um auxílio para o autoconhecimento


Eu PRE-CI-SO falar sobre esses dois livros que me deram um help gigantesco! A Mágica da Arrumação surgiu pra mim bem numa época que eu pensei “preciso arrumar meu guarda-roupa de vez”. Claro que “de vez” aqui significa que eu queria ter apenas peças que eu amasse muito, que contassem minha história, que combinassem entre si e que fizessem com que eu me sentisse bem; e isso demanda, claro, manutenções de 6 em 6 meses (nada é pra sempre quando a gente fala em roupa). Marie Kondo apareceu pra mim num post de algum blog que eu nem lembro qual e eu decidi comprar o livro, por mais que me soasse meio “auto-ajuda-que-não-funciona”, pois: baratinho $$$. Daí que, além de um manual para organização (que pelo menos comigo deu certo), Marie te incita a olhar peça por peça e sentir se a ama, tratando-a com carinho (fora o método que ela usa para dobrar que foi a melhor descoberta ever). Não segui a risca o livro todo, não arrumei toda a minha casa como ele propõe, mas usei as técnicas dela no guarda-roupa e olha, melhor resultado seria impossível! Percebi que, enquanto segurava as roupas, me transportava para momentos específicos da minha vida. E quando eu me perguntava por que eu amava tanto aquela blusinha ou odiava aquela calça, percebia que tinha muito a ver com toda a história que passei enquanto a usava. Não foi uma tarefa fácil, quanto mais eu mergulhava nos “por que's” mais eu mergulhava em mim mesma.

O mesmo negócio de se jogar loucamente pra dentro de mim aconteceu quando comecei a ler Vista Quem Você É, da Fê e da Cris do Oficina de Estilo. Foi uma consultoria de moda completa, com umas pitadas de psicologia. O método delas prega substituir consumo por autoestima e os exercícios sugeridos em todos os capítulos te colocam em contato com você mesma, assim como Marie propõe em A Mágica da Arrumação. Só que foi tão doloroso olhar pra dentro no início do livro e relembrar certas histórias, certos momentos, certos problemas, que eu tive que deixar o ebook das meninas de lado por uns dias. Doeu mesmo, mexeu na ferida mal cicatrizada, sabe? Mas quando eu consegui encarar, valeu a pena!

No final da leitura desses dois livros, além de uma bela organização nas minhas roupas, do tipo que me deixa em dúvida para escolher o look do dia porque só sobrou peças que combinam entre si e que representam perfeitamente quem eu sou (e não por falta de opções que combinassem), ganhei um grande autoconhecimento. Entrei em contato com minhas lembranças e problemas, encarei isso e tentei resolver de alguma forma. Me conheci melhor, entendi porque prefiro uma coisa a outra, quais motivos me levaram a isso, como eu sou, como quero ser vista, quem eu quero ser... aprendi até a ser um tanto mais grata. Durante o processo, eu recorri também a meditação, que me ajudou a colocar as coisas no lugar quando eu pensei que não ia conseguir seguir adiante. Então, o mérito todo não fica só com esses livros.

Depois disso, me sinto tão mais bem comigo mesma, tão mais íntima de mim, tão mais em paz, que preciso sair recomendando pra todo mundo esses títulos. Sem contar na linguagem gostosa usada nos dois livros, principalmente em Vista Quem Você É, que parece uma longa conversa com uma amiga, onde você desabafa, chora, mas depois dos conselhos que ouve dela, dos abracinhos e de um café quentinho, resolve suas preocupações. E para uma estudante de Moda como eu, “Vista quem você É” é um prato cheio, com dicas, ensinamentos, ideias... devia ser leitura obrigatória às aspirantes a personal stylist.

Não sei como concluir esse texto. Não sei mesmo.

Esse 2016 realmente foi O ano para livros que me ajudaram, me ensinaram, me emocionaram (aliás, chorei lendo esses tanto o da Marie, quanto o da Fê e da Cris) e até mudaram minha vida ou minha maneira de pensar. Por isso que eu queria poder fazer todo mundo ler pra ver se eu que sou assim, meio ET, ou se realmente o negócio é pesado e profundo e incrível e maravilhoso e... ♥ 

Nenhum comentário:

Postar um comentário