18 de março de 2016

Como eu melhorei a minha vida no início de 2016 – parte II

Algumas considerações sobre minha mudança de rotina:
  • Gosto de chocolate, mas não idolatro que nem eu acreditava. Se eu prestar atenção nos sabores, os chocolates normais são tão doces que descem queimando a garganta e eu chego a sentir o sabor do açúcar neles.
  • Descobri que amo sementes, nozes, amêndoas, castanhas, granola. Aliás, essa última misturada com iogurte natural (outra coisa que me permiti experimentar) é algo maravilhoso! Frutas com granola também. E leite com granola também. TUDO COM GRANOLA!
  • AMO produtos orgânicos, feitos mais naturalmente. Tem sabores muito mais “sinceros” que a versão que eu considerava normal.
  • Descobri que eu gosto tanto de banana, que como quase todos os dias, sem enjoar.
  • Ovo é muito mais gostoso sem sal.
  • Feijão e arroz com pimenta é sensacional. Acrescente farofa e sinta o sabor do paraíso!
  • Comida feita em casa tem muito mais sabor que a comprada pronta.
  • Yakult é vida.
  • Cacau em pó é melhor que achocolatado para preparar doces. É muito mais agradável pro meu paladar, principalmente para fazer brigadeiro.
  • Não gosto de muitas folhas verdes. Mas pode me dar cenoura e repolho a vontade.
  • ODEIO MAÇÃ. AMO CEREJA. <3 span="">
  • Gosto de café sem açúcar, amargo mesmo. Quanto mais forte, mais gostoso.  E o chá verde, que eu bebia para “emagrecer”, hoje é minha paixão por causa de sabor e não porque eu me obrigava a tomar.
  • Adoro farinha láctea com leite, mas agora consigo perceber que é bem doce. 
  • Eu não sou tão apaixonada por sabores doces como acreditava que era.
  • Ganhei autoconhecimento, melhorei minha autoestima e diminui minha ansiedade. Nada se compara a isso. Sinto meu cabelo melhorando, assim como a minha pele. Ganhei mais disposição! Percebi que sou capaz de me amar. Ninguém é igual a ninguém e cada um tem sua beleza, que é única! Perfeição não existe, não importa o que a TV ou as revistas te falem.

Hoje, meu objetivo com a comida é saúde em primeiro lugar, depois emagrecimento. Por isso estou tentando ainda introduzir verduras e legumes. Consigo no meio de pratos como yakisoba, sukiyaki e frango xadrez. A não me dou muito bem com o sabor de saladas, mesmo provando vários temperos diferentes. Vou continuar tentando.
Sei também da importância dos exercícios físicos, mas como sou uma pessoa preguiçosa demais, procurei uma solução “mais fácil” e comecei a fazer HIIT, treinos de alta intensidade, que me deixam derrubada no chão de canseira, mas que duram poucos minutos por dia. As vezes, rola andar de bicicleta por aí e sentir o vento no rosto. Mas não me obrigo a fazer exercícios todos os dias. Faço porque é prazeroso. Aliás, prazer é o que tenho procurado em todas as áreas da minha vida. Mas não dá pra ser feliz o tempo todo. Tive alguns episódios de compulsão, mas nem de longe ataco tudo como antes. Percebi que ela não me faz tão bem como eu acreditava que fazia antigamente. Hoje posso compreender que isso não me ajuda, acaba com o bom funcionamento do meu intestino, dá dor de estômago e inchaço. E a dor da ansiedade volta em pouco tempo. Não é legal, é criar mais um “problema”.

Por último, algumas páginas que me ajudaram e livros sobre o assunto:

Páginas no Facebook:

Livros:
Os Segredos da Sophie - Sophie Deram
Mulheres, Comida e Deus - Geneen Roth
Atenção Plena - Mark Williams e Danny Penman (sobre meditação, inclusive na hora de comer)

Produtos mais naturais/orgânicos:
 

Nenhum comentário:

Postar um comentário