29 de novembro de 2010

Pequeno, tão pequeno.

Era uma casa pequena, com móveis pequenos e pessoas pequenas. Era um pequeno abajur, que refletia uma pequena luz ao lado de uma pequena cama. Eram travesseiros pequenos e sonhos igualmente minúsculos. Era uma mesa pequena, com pratos pequenos e talheres idem. Eram potes pequenos com grãos pequenos, para um estômago pequeno. Era tudo tão pequeno, quase imperceptivel, se não fosse a alma. Porque a alma, ah, essa sim era gigantesca!

Era tudo tão pequeno, que no final se fez grande.

Nenhum comentário: